Sete Empreendedores Sociais que estão mudando o Brasil

Junte a vontade de fazer com conhecimento, garra e muita dedicação e você terá a fórmula que constitui o perfil de um empreendedor brasileiro. Não importa a região, idade ou classe social, esses empreendedores batalham diariamente para colocar seus projetos em pé e melhorar a vida de milhares de pessoas.

Se assim como esses inovadores sociais, você também tem um projeto que visa transformar e melhorar a sua comunidade, não deixe de se inscrever na próxima Red Bull Amaphiko Academy, que acontecerá na cidade de São Paulo entre os dias 23 junho a 02 de julho. Serão selecionados 15 empreendedores sociais para participar de uma imersão única com uma equipe formada por especialistas das áreas de comunicação e captação de recursos.

As inscrições encerram no dia 07 de abril e a lista de selecionados será anunciada em maio.

Os Fellows Amaphiko Hamilton Henrique e a rainha do dancehall Lei di Dai

Lucas Alves Gomes, fundador do Favela em Dança

O Favela em Dança foi criado em 2013 pelos jovens Lucas Alves Gomes e Ronaldo Marinho, com a intenção de democratizar a cultura, através da dança, nas favelas do Rio de Janeiro. Ao utilizar a dança como fator inclusivo todos são beneficiados, principalmente os dançarinos locais dessas comunidades que com o “Favela em Dança” ganharam uma plataforma para mostrar seu trabalho para o mundo.

É no Cantagalo, comunidade onde Lucas nasceu, que os festivais do “Favela em Dança” acontecem. Com duas edições já atraíram mais de mil pessoas de toda a cidade do Rio de Janeiro. A economia local também se beneficia com esses eventos, hostels, restaurantes e produtores de evento conseguem mais trabalhos durante esse período de alto movimento, provando mais uma vez que o projeto beneficia a todos, seja um dançarino profissional ou não.

Adhara Scanavino, fundadora da AMZ

Mostrar a Amazônia para o mundo como ela realmente é, essa é a missão da paraense Adhara Scanavino e sua AMZ. Tendo em mente que a Amazônia é a maior floresta tropical e maior aquífero do mundo, representando 5% do território global e com 25 milhões de pessoas morando nele, temos que entender e respeitar sua relevância.

A expertise da AMZ é produzir experiências e turismo sensitivo na Amazônia. Com projetos bem sucedidos para os mais diversos públicos, desde viagens de réveillon para turistas á viagens de imersão para grandes marcas brasileiras como Osklen e Natura, essa produtora de experiências apoia iniciativas sociais como o Projeto Floresta Ativa e insere Alter do Chão e a Amazônia no consciente de pessoas espalhadas pelo Brasil e o mundo.

A inovadora social Adhara Scanavino

Lei di Dai, fundadora do Gueto Pro Gueto

Foi com muita energia e força de vontade que essa cantora criou o projeto Gueto pro Gueto, em 2012, nas ruas de São Paulo.

Inspirada pela cultura do Sound System jamaicano, Lei di Dai começou levar eventos culturais à comunidades que não tinham acesso a esse tipo de entretenimento, fazendo com que seus moradores se sentissem empoderados para ocupar espaços públicos e expressar suas vozes.

O “Gueto pro Gueto” leva MCs, DJs e cantores para comunidades de São Paulo, sempre focando em músicas com conteúdo de problemas sociais e manifestações públicas, amor e mensagens positivas sobre a vida. Com apenas cinco anos de existência, o “Gueto pro Gueto”já produziu mais de 40 eventos e uniu mais de 12.000 participantes. Agora Lei di Dai e seu time trabalham pesado para conquistarem o Brasil e o mundo.

Dariele Santos, fundadora da Alinha

Apenas em São Paulo é possível encontrar mais de 12 mil pequenas oficinas de costuras que compõe o mercado de moda brasileiro. A empreendedora Dariele Santos cofundou a Alinha em 2014, visando colaborar para a melhoria das condições de trabalho na cadeia da moda, além de promover relações justas de contratação entre oficinas de costura e estilistas.

A Alinha visita oficinas de costura, diagnostica e propõe melhorias estruturais, organizacionais, de saúde e segurança aos costureiros. A Alinha também indica acessos a cursos de capacitação, organização e gestão do negócio.

Por meio da plataforma online, confecções e estilistas podem encontrar oficinas alinhadas. Dessa forma, as marcas se comprometem com um valor justo, incentivando relações corretas no mercado da moda.

A plataforma online possui atualmente 34 oficinas de costura e 128 varejistas cadastrados.

Desde seu nascimento, a “Alinha” já auxiliou mais de quinze oficinas de costura localizadas em São Paulo, sendo que várias dessas já estão disponíveis para os “matches” com as marcas.

Lei di Dai e seu Gueto pro Gueto soundsystem

Hamilton Henrique, fundador do Saladorama

Alimentação saudável e de boa qualidade para todos, é isso que o Saladorama oferece para comunidades do Rio de Janeiro. Quando Hamilton Henrique começou sua jornada como empreendedor ele não se conformava com o fato das pessoas de sua comunidade não terem acesso e poder financeiro para se alimentarem de maneira saudável, foi vendo esse problema que ele arregaçou as mangas e começou batalhar para tirar seu projeto do papel.

Com cozinhas instaladas dentro das comunidades, o Saladorama vende mais de oito tipos de saladas a preços acessíveis e educa seus moradores, que também trabalham no projeto e acabam gerando mais renda para suas famílias. O “Saladorama” já impactou mais de 160.000 pessoas até hoje, mas Hamilton vê um futuro ainda melhor e deseja ter uma base do “Saladorama” em cada estado do país até 2018, fazendo com que a alimentação saudável vire rotina para um número ainda maior de brasileiros.

Camila Carvalho, fundadora do Tem Açúcar?

Essa empreendedora carioca teve a ideia de criar o Tem Açúcar? ainda na sua época de modelo, quando viajava frequentemente para a Ásia e via todos os dias o resultado do consumo feroz e não consciente. Foi pensando em todo esse desperdício, e como evitá-lo, que Camila Carvalho criou essa plataforma colaborativa de troca de produtos, fazendo com que assim as pessoas não precisem comprar tudo que precisam utilizar.

O “Tem Açúcar” acredita que “ser é melhor que ter, que o acesso é melhor do que a posse e que colaborar é bem mais maneiro do que competir”! Com essa filosofia e muito trabalho duro o “Tem Açúcar” se mantém no mercado com mais de 80.000 usuários e com uma taxa de mais de 60% dos pedidos realizados.

Tomás Abrahão, fundador da Raízs

Tomás Abrahão, fundador da Raízs

Entregando mais de sete toneladas de alimento por mês e deixando a vida de milhares de pessoas mais saudáveis a Raízs está vivendo uma fase movimentada, tudo graças ao esforço do empreendedor Tomás Abrahão e sua equipe. A “Raízs” trabalha com mais de 92 famílias fazendeiras independentes que oferecem mais de 160 tipos de produtos, todos orgânicos e de alta qualidade.

Esses micro fazendeiros são a base do projeto, fornecendo produtos como ovos, leite, frango, açúcar, mel, queijo e muitos outros que são comercializados através de um e-commerce.

Com a filosofia “de família para família”, a Raízs democratiza a cada dia que passa a alimentação saudável para milhares pessoas de centros urbanos e o principal: oferece alimentos de procedência confiável e produzidos com amor.