O que eu aprendi com a Red Bull Amaphiko Academy

Conversamos com cinco empreendedores sociais que fazem parte da rede Red Bull Amaphiko e eles dividiram os maiores aprendizados que tiveram durante a última edição da Red Bull Amaphiko Academy, que aconteceu em 2015, e em toda a trajetória em parceria com o programa.

Estefânia Rosa, fundadora do Rosa dos Ventos

"Aprendi muito desde o primeiro momento em que entrei na Academy! Há alguns anos atrás eu tinha uma iniciativa pessoal, que hoje virou um projeto social reconhecido pela Red Bull Amaphiko.

Minha vida mudou e os projetos começaram a dar certo. Fiquei mais confiante em ir atrás dos meu sonhos e a cada dia tudo foi se tornando uma realidade! Tudo do meu jeitinho, porque a Red Bull me deu a oportunidade de florescer e exalar a minha própria essência sem interferências, apenas me assegurou que tudo daria certo!

Os encontros com outros jovens empreendedores me fazia ficar cheia de inspiração, esperança e muito conectada. Os workshops durante a Academy eram sempre muito divertidos e traziam muitos ensinamentos com palestras maravilhosas. Existiram várias mudanças ao longo do processo, tanto no projeto quanto na minha vida pessoal, mas foram mudanças positivas que me fizeram ter mais energia que antes e voar mais alto ainda.

Meu maior prazer é saber que o Rosa dos Ventos é um projeto social que dá oportunidades aos jovens praticarem esportes.

Essa parceria com a Amaphiko significa para mim conexão e liberdade. Livre pra fazer o que eu gosto e ao mesmo tempo me conectando e compartilhando com o próximo. A Red Bull de fato me deu asas."

Dariele Santos, cofundadora da Alinha

"Os três pontos em que eu senti uma mudança:

Dedicação integral ao projeto: uma das coisas que mais mudou na Alinha nesses últimos meses é o mergulho de cabeça no negócio. É muito difícil para um empreendedor social entender qual é o momento certo de deixar projetos paralelos, entendendo que é o momento certo para a sua iniciativa receber atenção especial e decolar. Acredito que a consultoria e o apoio, além da troca com outros empreendedores, nos ajudam a ter mais clareza desse momento durante o programa.

Visão macro da iniciativa: um erro comum entre nós empreendedores é ir para a rua, focar no coração do projeto no dia a dia e esquecer de ter um olhar estratégico e mais amplo para o projeto. É claro, é sempre o coração do projeto que nos move e nos abastece para seguir em frente, mas o time não pode esquecer que o projeto precisa de alguém com olhar estratégico, para garantir que ele esteja à frente dos desafios que virão, já pensando nas soluções.

A consultoria com a Maniê é esse respiro para o empreendedor, para colocar tudo numa grande lousa (literalmente) e pensar o futuro e os desafios do projeto de forma macro.

Costumo falar que é uma terapia do empreendedor social, é de uma ajuda enorme ter alguém que nos lembre que às vezes é melhor parar e pensar do que sair fazendo.

Conexão em rede: claro que a rede não poderia faltar nessa lista, é o coração desse programa. Com certeza ele não seria tão especial se não fosse as pessoas que você tem o privilégio e a oportunidade de conhecer.

Independente dos projetos terem ligação ou não com o seu, cada conversa e conexão com os outros empreendedores da rede (que entendem exatamente por quais desafios você tem passado) é uma conversa inspiradora. Com certeza um combustível para dar um boom no seu projeto."

Fabricio Vieira, colaborador do Sereias da Penha

"As mudanças provocadas pelo Amaphiko surtiram, principalmente, efeitos em mim e minha percepção de mundo. Fui colocou em questão, posto em sabatina e provocado a avaliar os significados e a representatividade das minhas iniciativas, da minha relação com meu campo de atuação.

A rede Amaphiko estimulou o autoconhecimento, a percepção ampla das potencialidades que possuo frente ao universo de iniciativas as quais descobri. O grandioso foi perceber, conhecer e descobrir os outros que também estão no mesmo objetivo de transformar ou de fazer diferença no mundo. Um reforço à tranquilidade de não estarmos sós.

Em cada experimentação na rede saí convicto de que é possível experimentar caminhos e possibilidades sem ter o medo do enfrentar as impossibilidades.

Será sempre um processo peculiar, de composição do cuidado com o outro e com o meio. Durante todo esse período houveram diversas provocações de pensamento, iniciativas e ações que irão repercutir na minha vida."

Carolina Ferrés, fundadora da Cidade Azul

" Percebi mudanças nesses três pontos:

Financeiro: encontrei um caminho para monetizar o projeto por causa da experiência de outros empreendedores participantes da rede.

Gerenciamento de Equipe: aprendi a trabalhar mais solta, sem necessidade de ter uma equipe fixa, criando parcerias pontuais. A rede foi essencial para perceber isso.

Jurídico: consegui adaptar a figura jurídica para atender ás demandas do mercado, com a ajuda de profissionais colocados à disposição pelo Amaphiko."

Lucas Gomes, cofundador do Favela em Dança

"Antes do Amaphiko pode-se dizer que o projeto estava com dias contados, era um projeto doente com uma equipe doente, o processo do Amaphiko foi muito importante para conseguirmos reestruturar tudo.

Com a entrada do projeto na rede Amaphiko nós conseguimos reestruturar tudo isso, muito mais focados e com a equipe mais entrosada. Podemos dizer que o maior problema resolvido foi o problema da nossa equipe e da nossa organização interna.

Além disso, agora estamos no nosso melhor momento e trabalhando com uma captadora de recursos, então estamos mais por dentro dos editais, estamos aprovados na Lei Rouanet e nosso administrativo e financeiro evoluíram.

Evoluímos e lançamos um novo projeto, que é o ‘Batalhas’, que tem potencial para ser nosso maior projeto. Todo esse processo foi muito importante, foi de fato uma injeção de ânimo em todo mundo, principalmente em mim. Eu conheci pessoas incríveis, percebi que meus problemas não são só meus, percebi que todos passam por coisas similares e venceram, isso da ânimo e dá vontade de continuar.

Eu só tenho a agradecer a oportunidade e às pessoas que fazem isso acontecer e dizer para todo mundo que o Amaphiko é um projeto real, que vale a pena, que é algo que vou guardar para o resto da vida.

Eu só tenho a agradecer porque o Favela em Dança só está vivo até hoje por causa do Red Bull Amaphiko."

As inscrições para a Red Bull Amaphiko Academy 2017 estão abertas até o dia 07 de abril. Os 15 projetos selecionados serão divulgados em maio, inscreva-se e boa sorte!